2018: Futebol capixaba tem mais campistas

Foto: Montagem/GE

O futebol capixaba está se transformando numa grande filial do Rio de Janeiro, mais precisamente do futebol de Campos. Para 2018 o êxodo é maior do que o verificado neste ano, quando o Atlético de Itapemirim foi a casa que mais abrigou atletas campistas e muitos que atuaram na planície.

Essa movimentação aumentou por conta da presença do treinador Rafael Soriano e, do ex vice presidente de futebol da Desportiva, Armando Zanata. Ele fechou acordo com o Serra, que está de volta à primeira Divisão, e assumiu a vice presidência do clube, levando para lá alguns nomes conhecidos do futebol do Rio de Janeiro. A ida de Espinho é obra de Zanata, que antes de romper com a Desportiva gostaria de ter o zagueiro do Americano, em Cariacica, fato que se confirma agora com a presença dele no Serra.

Além do zagueiro Espinho, o lateral esquerdo Rafinha também era sonho de consumo, e o jogador, que tem contrato com o Americano, também acertou e se apresentou, nesta segunda-feira, juntamente com o goleiro Patrick, outro que tem contrato com o Americano.

Já o Atlético de Itapemirim anunciou o ex zagueiro e volante da Carapebus e do Itaboraí, Junior Pagode e o atacante Wellington Pimenta, este com passagem pelo Americano. Na Desportiva, o técnico campista, Rafael Soriano, levou para Cariacica, o preparador físico, Fábio r Rangel, além dos jogadores Ernane, ex Americano, Diniz , ex Goytacaz e Carapebus e Jean Muller.

Pelo visto, os clubes de Campos estarão muito atentos ao futebol do Espírito Santo, uma vez que a série B1 tem inicio previsto para maio, quando o Capixabão já terá terminado.

Por Arnaldo Garcia – Esporte Campos