Atletas de Campos conquistam vaga para Olimpíadas Especiais Brasil

Foto: Divulgação

Os atletas da natação trouxeram 10 medalhas, sendo 3 de ouro, 3 de prata e 4 de bronze, além de 1 medalha de prata e outra de bronze no vôlei de praia

A equipe do projeto de Paraesporte, da Fundação Municipal de Esportes, fez bonito na etapa estadual das Olímpiadas Especiais Brasil, que aconteceu neste final de semana, nas dependências da Comissão de Desportos da Aeronáutica -CDA, no Rio de Janeiro. Cerca de 20 atletas nas modalidades de vôlei e natação, além da equipe de futsal, que se classificou nos jogos realizados em Campos, conquistaram classificação para a etapa nacional, que vai acontecer entre os dias 8 a 10 de março de 2018, em local a ser definido pela comissão.
De acordo com o coordenador do Projeto Paraesporte, Fabio Coboski, a delegação de Campos foi uma das maiores, reunindo 27 atletas. “Somos a mais nova. São oito meses de treinamento e já chegamos mostrando a seriedade do nosso trabalho que tem o apoio do presidente da Fundação, Raphael Thuin, e do prefeito Rafael Diniz, que acreditam no trabalho de inclusão das pessoas com deficiência. Acredito que dentro de dois a três anos, o Paraesporte pode ser uma referência Estadual ou Nacional, fruto de um trabalho sério e de uma equipe envolvida e comprometida com o que faz. O desempenho de nossos atletas superou as nossas expectativas e estamos muitos felizes”, destacou Coboski
Para a mãe Karina da Silva Souza, mãe do pequeno Diego Pepe que ficou com o 4° o lugar na Bocha, é uma vitória ele estar participando dessa etapa. “Diego tem 10 anos e já passou por três cirurgias. Começou a andar com quatro anos e poder hoje jogar futebol, que é uma de suas paixões, é uma grande vitória. Desde que descobrimos o Paraesporte, a vida dele mudou muito. Já foi a um jogo no Grêmio, em Curitiba, e agora está participando da etapa Estadual. Estou muito orgulhosa e feliz por ele. Só temos a agradecer a toda equipe do Paraesporte que tem o maior carinho” concluiu.
Claudenir da Silva Erbas, irmã da atleta líder Marcia Regina, é só felicidade. “Não importa o resultado dos jogos, mas só deles estarem participando e ela estar viajando sozinha, sem nós familiares, já é uma grande vitória. Mostra que o Projeto Paraesporte está fazendo a diferença na vida de nossos “anjos” que eram excluídos da sociedade. Hoje, eles estão dando vários passos em busca da autonomia. Maria está viajando pela primeira vez sozinha, porque ela se sente segura com a equipe do Paraesporte. Hoje ela faz natação, ginástica e dança” destacou
Foto: Divulgação
Para o presidente da Fundação, Raphael Thuin, é muito emocionante acompanhar esse desempenho dos atletas da Fundação, que competiram com atletas de vários municípios e mostraram que são duplamente vitoriosos. “Fizeram bonito, se divertiram, trouxeram mais de 10 medalhas, entre ouro, prata e bronze e ainda se classificaram para a etapa nacional. Como um dos Embaixadores das Olimpíadas Especiais Brasil estou muito feliz em poder plantar a semente do respeito e inclusão social das nossas crianças. Agora é continuar trabalhando, superar a etapa nacional e garantir uma vaga para os Jogos Mundiais de Verão, que vão acontecer em 2019, em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes”, conclui Thuin.
Fonte: PMCG