Goyta pode receber por Jussiê após justiça penhorar bens do Cruzeiro

Foto: AFP

Um dos maiores imbróglios da história do Goytacaz Futebol Clube ganhou mais um capítulo neste final de janeiro. O caso envolvendo o ex-atacante Jussiê, revelado pelo time de Campos e que foi vencido ao futebol europeu pelo Cruzeiro (MG) sem que houvesse uma compensação aos alvianis pode, finalmente, fazer o time da Rua do Gás ser recompensado. A Justiça anunciou a penhora de quase R$ 2,5 milhões do Cruzeiro (MG), a serem repassados ao Goyta por conta do caso, que se arrasta judicialmente há 12 anos. No entanto, ainda cabe recurso por parte dos cruzeirenses.

O pedido feito na carta precatória, emitida pela Comarca de Campos dos Goytacazes, é de que haja uma penhora de 20% do faturamento diário do Cruzeiro, até que o valor de R$ 2.426.876,17 seja arrecadado. A quantia será, então, repassada ao Goytacaz. O processo teve vários episódios desde seu começo, em 2006, e o Goytacaz já tinha entrado em acordo com os mineiros para receber pouco mais de R$ 1,5 milhão em 2014, bem abaixo do que pretendia inicialmente (R$ 6,4 milhões).

No entanto, há dois processos tramitando em paralelo. O primeiro trata da indenização que o Goytacaz busca receber por ser o clube formador de Jussiê. O segundo é um processo por danos morais por se sentir lesado na ida do jogador para o Cruzeiro. Jussiê foi registrado como amador pelo Goyta em 2000, mas deixou o clube no fim daquele ano e voltou para sua cidade, Nova Venécia, interior do Espírito Santo. Em 2001, quando se pensava que o atacante não estava mais envolvido com o futebol, ele foi contratado pelo Cruzeiro.

Apesar da possibilidade da entrada do dinheiro, o Goytacaz mantém uma postura cautelosa. Pelo caso ainda poder ir a julgamento por meio de recursos por parte do Cruzeiro, a garantia de que a dívida será paga ainda não existe. Ainda assim, o clube de Campos espera receber o dinheiro. A diretoria do Cruzeiro se agarra ao acordo de 2011 para dizer que já pagou o que devia ao Goytacaz e que a dívida é com advogados do Alvianil que tentam cobrar honorários de trabalhos prestados da condenação inicial da segunda instância.

Depois de ganhar as primeiras oportunidades como profissional no Cruzeiro, Jussiê foi vendido para o Lens (FRA) em 2005. Jogou ainda pelo Bordeaux (FRA) e pelo Al-Wasl (EAU). Ele chegou a acertar com o Atlético (PR) em 2016, mas não voltou ao futebol. Desde então, está aposentado.

Fonte: Futrio