Márcio Carioca sonha ser artilheiro pela terceira vez em 2018

Foto: Carlos Grevi

Ascensões meteóricas no futebol carioca já aconteceram algumas vezes. Clubes que saíram da terceira para a primeira divisão em poucos anos consagraram subidas marcantes, mas nunca um jogador obteve a marca de ser artilheiro da terceira, segunda e primeira divisões em anos consecutivos. Se tabus foram feitos para serem quebrados, o nome da vez para acabar com ele é o de Márcio Carioca. O atacante do Goytacaz foi goleador nos torneios de acesso nos últimos dois anos e terá, em 2018, a chance de jogar a Série A. E é claro que ser goleador é sua meta.

Márcio Carioca vai terminar a temporada com 30 gols: o segundo maior artilheiro do futebol brasileiro, perdendo só para Henrique Dourado, do Fluminense. Pesou a seu favor o poder de fogo durante a Segundona, quando vestiu a camisa do São Gonçalo EC e marcou 18 vezes, terminando como artilheiro. Em 2016, Márcio também foi goleador pelo São Gonça, mas na Terceirona, em que marcou nove gols. Se o desafio promete ser maior numa primeira divisão, o camisa 9 não tem medo e pretende manter o faro de gol impecável.

– Acho que meu ano de 2017 foi bem produtivo, consegui fazer um bom trabalho. A gente imaginava realmente que pudesse ficar entre os maiores artilheiros do país, mas esse é um trabalho de longo prazo. Pude ir bem no Rio Branco (ES) e no São Gonçalo e, agora, é continuar nessa mesma batida para 2018. Quero brigar também pela artilharia da Série A e consolidar o Goytacaz na primeira divisão. É sempre importante ser goleador e a gente tem que pensar nisso sempre que entra numa competição – diz Márcio.

O Goyta já vem treinando há um mês, embora tenha enfrentando poucas equipes até então. O teste de fogo será no dia 10, quando o time faz um amistoso contra a Portuguesa, time já garantido na fase principal do Estadual. Como terá que passar primeiro pela Seletiva, o Alvianil terá cinco decisões já no início do campeonato, o que faz Márcio Carioca ter plena noção do que há pela frente:

– Espero uma dificuldade tremenda. Tem times de muita tradição, como America, Resende e Macaé. Mas estamos aptos para isso, fomos campeões no ano passado, temos um bom grupo e um técnico maravilhoso. O professor Paulo (Henrique, técnico) é uma grande pessoa, já me cativou. Ele toca o grupo como ninguém. É importante jogar a primeira divisão. Atuei pelo Resende em 2015 e agora posso voltar. A gente já está visando o campeonato e espera repetir o ano que passou. Se Deus quiser, com muitos gols. Atacante vive disso.

A estreia do Goyta na Seletiva é no dia 20 de dezembro, contra o Macaé, fora de casa.

Fonte: FutRio